Dia Internacional pela Eliminação da Discriminação Racial

No Brasil, a população negra apresenta níveis mais baixos de escolaridade e menor acesso a serviços de saúde. O N’zinga surge em 1986 como uma força para as mulheres negras na luta contra todas as formas de discriminação, preconceito e opressão de gênero e etnia, que norteiam uma série de comportamentos e práticas sociais e institucionais. Busca incessantemente a inclusão sociopolítica e econômica das mulheres afrodescendentes e seus familiares. Essas desigualdades estão presentes também na saúde e influenciam diretamente na incidência de casos HIV/AIDS na população de menor nível socioeconômico, onde grande parte da população negra brasileira está incluída. Com o apoio da BrazilFoundation o projeto Quilombolas no Enfrentamento a HIV/AIDS e Hepatites Virais propôs instrumentalizar mulheres e adolescentes quilombolas para atuarem em seus territórios e em escolas como agentes comunitários de prevenção de HIV/AIDS e hepatites virais. A promoção da saúde com os próprios quilombolas é uma forma efetiva de distribuir informações e criar estratégias de intervenção preventiva no quilombo.

MEMO0060

Advertisements
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s